(11) 3926-0607 secretaria@ifbbbrasil.com.br

INTRODUÇÃO ÀS MODALIDADES DA IFBB

 

Fisiculturismo (masculino)

Nesta modalidade, os atletas treinam para desenvolver todas as partes de seu corpo e músculos a fim de obter o tamanho máximo, mas de forma equilibrada e com harmonia.

Não deve haver “pontos fracos”, e nem músculos subdesenvolvidos. Aqueles que conseguirem demonstrar maior riqueza de detalhes musculares receberão as maiores pontuações nas competições.  E a outra questão fundamental a ser avaliada é a linha, ou seja, a visão geral do físico, que deve ser construído de forma proporcional e simétrica.

Além disso, para atingir a condição desejada, eles seguem um ciclo especial de treinamento e dieta pré-competição, para diminuir o nível de gordura corporal ao mais baixo possível, e remover toda a  água  abaixo da pele, para então poder demonstrar toda a qualidade de seus  músculos:  densidade,  separação  e definição muscular.

Estas qualidades são exibidas nas rodadas de avaliação do Físico, quando os todos os atletas concorrentes executam as  poses obrigatórias,  durante comparações  em grupos de 3 a 5 atletas, conforme orientação dos Árbitros.  Os Atletas devem executar as poses e rotinas com os pés descalços, e de sunga.

Na divisão SÊNIOR há oito categorias de peso: até e incluindo 65 kg; até e incluindo 70 kg; até e incluindo 75 kg; até e incluindo 80 kg; até e incluindo 85 kg; até e incluindo 90 kg; até e incluindo 100 kg e acima de 100 kg.

Na divisão MÁSTER, as categorias são:

Máster I (40-49 anos), com as categorias: até e incluindo 70 kg; até e incluindo 80 kg; até e incluindo 90 kg e acima de 90 kg.

Máster II (50-59 anos): até e incluindo 80 kg e acima de 80 kg;

Máster III (Acima de 60 anos): Categoria Aberta / Única

Há também uma rodada coreográfica onde os atletas podem mostrar seu físico numa apresentação de 60 segundos utilizando música de sua escolha.  Deve ser uma apresentação artística atraente, incluindo as poses obrigatórias e poses e movimentos não obrigatórias.

As classificações dos atletas são obtidas a partir das notas das rodadas de físicos e da rodada coreográfica, onde cada árbitro atribui uma colocação individual a cada atleta, dos primeiro ao ultimo lugar.

Fisiculturismo CLÁSSICO (masculino)

É uma modalidade do Fisiculturismo competitivo destinada aos atletas do sexo masculino que não desejam desenvolver seus músculos ao extremo, optando por um físico mais “Clássico”.

Com o propósito  de  criar chances iguais para eles,  foi criada uma tabela de adequação  onde o peso corporal dos concorrentes é limitado de acordo com sua altura, seguindo uma fórmula especial  criada pela  IFBB.

Atualmente existem quatro categorias: até e incluindo 168 cm, até e incluindo 171 cm;  até e incluindo 175 cm, até e incluindo 180 cm, e mais de 180cm.

Com o volume muscular limitado, é dada especial atenção à qualidade, e principalmente a visão geral do físico, as proporções do corpo e linhas, a forma muscular,  e especialmente a condição que o atleta se apresenta no dia da competição  (densidade, nível de gordura corporal, definição e detalhes).

Estas qualidade são analisadas durante as rodadas de avaliação do Físico,  quando os todos os atletas concorrentes executam as  poses obrigatórias, da mesma forma que na categoria Fisiculturismo Sênior.

Os Atletas devem executar as poses e rotinas com os pés descalços, e de sunga.

MEN’S PHYSIQUE (masculino)

Em 2012 a categoria Mens Physique foi lançada oficialmente como uma nova categoria da IFBB.

Ela demonstrou ser uma categoria muito popular dentro de um curto período de tempo, e por conta disso  a IFBB tem aumentado a oferta de subcategorias por divisão de alturas, dando chance a um maior número de atletas.

Essa categoria é destinada a homens que realizam o treinamento com pesos a fim de manter a forma, e que praticam uma dieta saudável e equilibrada,  mas que preferem desenvolver um físico menos musculoso, com aspecto  atlético e esteticamente agradável.

Os concorrentes procuram mostrar  forma e simetria adequada, combinada com alguma  musculosidade e principalmente um bom estado geral. Os atletas devem ter presença de palco e postura a fim de demonstrar sua personalidade,   e a capacidade de apresentar-se no palco com confiança  deve ser visível a todos.

 FITNESS Coreográfico (Masculino)

Esta modalidade esportiva masculina é semelhante ao fitness feminino, e o concurso também inclui 2 rodadas de físico e uma rodada coreográfica com a rotina da apresentação artística. Na rodada final os concorrentes vestem sunga e os árbitros vão avaliar a linha geral do atleta, procurando um físico masculino atlético, talhado pelos duros treinamentos os quais os atletas dessas categorias se submetem.

 Na coreográfica o atleta deve incluir força e flexibilidade em seus movimentos, assim como movimentos de ginástica, ou de outras formas de exibição de seu talento e capacidade atlética.

No final, os pontos de todas as rodadas são somados para produzir as pontuações finais e determinar quais concorrentes alcançarão aos primeiros lugares.

FITNESS Coreográfico (Feminino)

Este conceito foi introduzido pela IFBB no início dos anos 80 e se tornou oficial em 1996, em resposta ao aumento da procura de competições para as mulheres que preferem desenvolver um físico menos musculoso, ainda atlético e esteticamente agradável, e também para mostrar seus físicos em movimento.  Nesta categoria, a ênfase é colocada em um físico bem torneado e esculpido,  e com um visual atlético, que é avaliado através da comparação dos quatro quartos de volta,  e a capacidade atlética é avaliada durante  rotina de fitness que deve muito atraente e dinâmica.

Como é um esporte físico, também existem duas rodadas de avaliação física e logo em seguida a apresentação da rotina artística.

Nas rodadas de físico as concorrentes irão realizar os  quartos de volta, durante o qual os árbitroes irão avaliar a sua  silhueta e contornos do corpo,  as formas anatômicas, nível de gordura corporal, a firmeza do corpo e tônus ​​muscular, apresentação geral palco (auto-confiança, equilíbrio, coordenação de movimentos), bem como o cabelo facial e beleza.

Na rodada de rotina coreográfica, os árbitros estão procurando elementos fortes, movimentos de flexibilidade, ritmo elevado, perfeição técnica, elegância e graça. As competidoras podem usar pequenos adereços, associados aos seus trajes.

BODYFITNESS (Feminino)

A categoria Bodyfitness foi implementada pela IFBB em 2002 para dar chance  a  um vasto grupo de mulheres que desejavam competir por possuir um físico bem torneado e atlético, mas que não desejavam realizar  as apresentações  do round coreográfico da categoria Fitness Coreográfico.

Esta categoria caiu rapidamente no gosto das atletas do sexo feminino e o número de participantes aumenta a cada ano, no entanto, ainda é discutido como criar-lhes a possibilidade de mostrar a sua figura em movimento.

Nessa categoria, os árbitros devem avaliar a aparência atlética geral do físico, tendo em conta a figura, o tônus ​​muscular desenvolvido simetricamente, forma feminina e uma baixa quantidade de gordura corporal, assim como o cabelo,  a beleza facial e o estilo individual de apresentação fazem toda a diferença,  incluindo confiança pessoal,  equilíbrio e graça.

Esta categoria é amplamente aberta para todas as mulheres que gostam de treinar com pesos e levar um estilo de vida saudável.

BIQUINI FITNESS (Feminino)

A Categoria Feminina Bikini Fitness foi reconhecida oficialmente como uma nova disciplina do esporte pelo Conselho Executivo da IFBB e o Congresso Mundial da IFBB, em 07 de novembro de 2010 (Baku,Azerbaijão).

As atletas dessa categoria mais se parecem uma modelo Fitness: magras, belas e demonstrando um leve aspecto de treinamento com pesos.

Representam aquela figura da atleta que poderia ser contratada tanto para estar com o rosto estampado na capa de uma revista somente pela sua beleza facial, como também desfilar e fotografar para uma coleção de, como o nome já diz, biquínis,  por exibir além da beleza, um corpo treinado, tendendo para o atlético porém esteticamente agradável aos olhares, por enfatizar ainda mais os formatos e as curvas femininas, mas sempre preservando a magreza natural e a linha de cintura.

Além da cintura fina, as atletas devem possuir os braços e ombros levemente destacados. Os glúteos devem ser redondos e firmes, e o percentual de gordura deve ser baixo, mas sem aspectos de desidratação.

O julgamento das atletas não ocorre somente pelo físico, mas também pela beleza facial, cabelos, e até mesmo a harmonia da maquiagem em relação ao conjunto corporal, cabelos, cor do biquíni etc.

Além disso, as atletas devem possuir carisma, desenvoltura, e “luz própria” em cima do palco, fator primordial para a composição da nota, e que pode somar ou também diminuir muitos pontos  na avaliação inicial da condição física que é feita pelos Árbitros nas rodadas eliminatórias, onde a movimentação e gestual ainda não é permitido, tampouco avaliado durante as comparações iniciais.

A modalidade é divida por estatura, sendo: até e incluindo 160 cm, até e incluindo 163 cm, até e incluindo 166 cm, até e incluindo 169 cm, até e incluindo 172 e acima de  172 cm;

WOMEN PHYSIQUE (Feminino)

A categoria Feminina Womens Physique foi oficialmente reconhecida como uma nova categoria da IFBB Amadora pelo Comitê Executivo da IFBB e Congresso Mundial da IFBB em 11 de Novembro de 2012 (Guayaquil,Equador).

É destinada a mulheres que querem elevar o seu nível de massa muscular e condicionamento ao máximo possível através de treinamento e dieta, porém respeitando-se a anatomia, volume e silhueta feminina.

Desta forma, acabam por desenvolver um físico menos musculoso, ainda atlético e esteticamente agradável, ao contrário das antigas atletas do fisiculturismo feminino, que acabaram por perder a feminilidade nos últimos anos.

Para promover isso, os árbitros são constantemente relembrados ao fato que estão julgando uma nova proposta de categoria, diferente da antiga categoria Fisiculturismo Feminino.

O tipo de musculosidade, a vascularização, a definição e a desidratracao muscular vistas em antigas atletas Fisiculturistas não serão aceitas no julgamento das atletas desta categoria.

A Modalidade é dividida por estatura, sendo: até e incluindo 163 cm e acima de 163 cm;

WELNESS FITNESS (Feminino)

A categoria Wellness foi criada pela IFBB Brasil em 2005 com o objetivo de agregar e levar aos palcos uma boa parcela das mulheres brasileiras frequentadoras das academias e salas de ginástica, que tinham o desejo de competir, porém, não se enquadravam em nenhuma das outras  categorias existentes na IFBB, por possuírem uma certa desproporção de volume dos membros inferiores (coxas e glúteos) em relação a membros superiores (tronco e braços), e isso ocorre principalmente devido ao fato de boa parte delas treinarem seguindo o  próprio padrão de beleza que é naturalmente encontrado e admirado no Brasil inteiro.

Dessa forma são atletas que possuem os glúteos e coxas mais volumosos, porém desenvolvidos segundo a forma feminina natural, deixando o físico voluptuoso, mas que em nada lembre as atletas das outras categorias que exibem maior volume, mas, com mais densidade, separação e definição ente os grupos musculares.

A categoria se expandiu rapidamente e, atualmente, é observada no cenário internacional, pelas federações afiliadas a IFBB.